Fanpage para candidatos políticos

o que pode e o que não pode!

A internet já vem sido utilizada em campanhas eleitorais há algumas eleições. Mas verdade seja dita, não são todos os políticos que sabem fazer bom uso da web enquanto ferramenta.

Um exemplo disso é o Facebook, que muitas vezes é ignorado por completo ou então mal gerecionado. Não importa o cargo pleiteado, é sempre aconselhável possuir uma fanpage para candidatos políticos sempre muito bem construída e alimentada.

Você entende o porquê disso e sabe quais são as melhores práticas para manter uma ótima página no Facebook? Pois vamos te mostrar.

Por que é tão importante ter uma fanpage para candidatos políticos?
Segundo dados divulgados pelo próprio Facebook, a rede social atingiu em abril de 2018, 127 milhões de usuários apenas no Brasil, número que equivale a quase dois terços da população. Isso significa que grande parte do eleitorado está lá e precisa ser atingido na busca pelos votos.

Ter uma fanpage se torna então uma ótima forma de garantir a interação com o eleitor e fazer com que ele se sinta participativo. A plataforma oferece ao político a oportunidade de conhecer o seu público, recebendo suas reclamações e sugestões e de se apresentar, contando melhor sua história pessoal e trajetória política.

Além disso, com uma fanpage o candidato tem a chance de mostrar com mais detalhes suas principais propostas, já que muitas vezes o tempo concedido pela propaganda na TV e no rádio é muito pouco.

Qual a diferença entre um perfil e uma fanpage?
Quando se trata de Facebook, algumas pessoas ainda se confundem sobre o que é uma página e um perfil. Os dois não são a mesma coisa e possuem características e objetivos distintos.

O perfil tem um caráter muito mais pessoal. Seu alcance não é muito alto, já que o número de amigos adicionado é de no máximo 5 mil pessoas. Pode até parecer muito, mas é um número muito baixo para candidatos, pois é necessário atingir a maior quantidade de pessoas possível com as publicações.

Com o perfil também não é possível criar anúncios, o que acaba limitando ainda mais as possibilidade para políticos em campanha. Já uma fanpage, além de permitir a criação de anúncios e o impulsionamento de publicações, ainda permite a segmentação dessas ações pelo público.

Uma página também permite que seja feito o monitoramento das publicações e interações com os eleitores. Dessa forma é possível medir a efetividade do trabalho que está sendo realizado lá. Vamos falar mais sobre o monitoramento daqui a pouco.

Melhores práticas
Organização
Antes de iniciar a presença online com a fanpage para candidatos políticos, é muito recomendável que um cronograma editorial seja implementado. Isso é importante para organizar a produção e a publicação do conteúdo.

Nesse cronograma determine a frequência, a temática das publicações, os dias e horários, etc.

Conteúdo
O conteúdo determina muito a quantidade e a qualidade das interações com o público e eleitorado. Não adianta apenas produzir ou compartilhar conteúdo aleatoriamente, ele precisa ser pensado para ser relevante.

Como dissemos mais acima, esse espaço é ótimo para divulgar as propostas do candidato, sua trajetória e carreira política e até mesmo um pouco de sua vida pessoal.

E não fique preso apenas à publicações textuais, faça uso de imagens, vídeos, publique gráficos, estatísticas, pesquisas, etc. As possibilidades são muitas.

Monitoramento
O monitoramento nada mais é que a observação, coleta e análise dos resultados e performances das atividade da página. Algumas das informações mais importantes para controlar são:

Número de fãs/seguidores e de visitas;

Engajamento nas publicações (curtidas, compartilhamentos e comentários);

Alcance (quantas pessoas visualizaram a publicação);

Número e qualidade das menções públicas, em grupos, eventos e na própria página.

O próprio Facebook oferece algumas dessas informações. Mas é possível ter acesso a dados ainda mais completos através de ferramentas criadas exclusivamente para esses fins. Algumas delas são Quintly, LikeAlyzer, HowSociable, Hootsuite, Social Searcher, etc.